Adaptação Escolar

22 de Março de 2018

Chegou o grande dia! O primeiro dia de aula dos nossos pequenos.

Quanta ansiedade, dúvidas e incertezas passam pela nossa cabeça e pelo nosso coração.

E a culpa? Ah! A culpa materna está lá, ela nos acompanha sempre, não é verdade?

Qual melhor escola? Qual o melhor método? A alimentação é saudável? Será que vão cuidar bem do meu bebê? Nós, pais, sempre pensamos que nossos filhos ainda são bebês, mesmo já estando com 3, 4, 5 anos. E se ele chorar? E se não comer? E se… E se…

Nossa quantas coisas num processo de adaptação escolar…

Uns vão para escola/creche ainda com 4 meses, pois a realidade de muitas mães hoje é também assumir um papel de provedora no lar. Não existe a opção de ficar em casa e se dedicar um tempo a mais com os filhos.

Outros vão para escola um pouco mais tarde, por volta dos três, quatro anos. No entanto, em todos os casos a adaptação não acontece somente para o filho, mas para a mãe também.

É muito comum que muitas mães também precisem se adaptar com a ausência do filho e está tudo bem! Estamos falando de uma segunda separação mãe e filho. A primeira foi o nascimento do bebê. Aquele bebezinho já não está mais dentro da nossa barriga, onde podemos “proteger” e estar com a gente 100%. Por isso, quando o filho vai para escola/creche pela primeira vez gera essa insegurança e uma série de outros sentimentos.

A decisão de ir para creche ou escola

É de extrema importância estarmos seguras com a nossa decisão de que chegou a hora da criança ir para escola/creche. Sei que muitas mãezinhas não têm essa escolha, porém é fundamental entender e aceitar essa realidade, para que o sofrimento não nos domine. Quem pode escolher o melhor momento de levar o filho para escola, é fundamental estar segura da sua decisão.

Lembrem-se que nossos filhos sentem tudo que estamos sentindo. Eu disse tudo, absolutamente tudo, sem exageros! Acredite! Entre outras palavras, se estamos inseguras com a criança indo à escola, ela também se sentirá assim. Se sentimos medo, angustia ou qualquer outro sentimento, a criança também sentirá, inclusive alegria, segurança, confiança…

Eles estão conectados com a gente. Geramos os nossos filhos e eles estavam literalmente ligados com a gente e com as nossas emoções durante toda a gestação e por isso não será diferente no dia a dia.

Dicas para ajudar a adaptação escolar

Pensando em toda essa angústia vivida por nós, mães, vou dividir com vocês algumas dicas para ajudá-las nesse período de adaptação escolar. As dicas são para os nossos filhos, como também para nós mamães, sabermos lidar melhor com essa fase e minimizar o nosso sofrimento.

A escolha da escola

Quando falamos de adaptação escolar, a primeira coisa que devemos levar em consideração é a escola que escolhemos para os nossos filhos e estarmos muito seguras dessa escolha. É fundamental escolhermos uma escola que estão de acordo com os nossos valores familiares e atenda as nossas expectativas enquanto escola, tais como:

  • as atividades pedagógicas e psicopedagógicas que serão desenvolvidas com as crianças,

  • a alimentação que será oferecida,

  • as atividades extracurriculares,

  • local do soninho,

  • espaço físico

Enfim, tudo que acreditamos que será essencial para os nossos filhos. Essa avaliação é muito particular, pois o que é primordial para uma mamãe, pode não ser para outra.

O momento da entrega

Falando em emoções, em estar segura, entramos na segunda dica. É a hora de entregar o filho na escola, na sala de aula. É importante que você esteja firme, principalmente se seu filho chorar, ser breve na despedida e não ficar enrolando ou tentando acalmar a criança por um longo tempo.

Se o seu filho não chorar, beijo-o, diz que mais tarde você volta para buscá-lo e eu sempre aproveito a oportunidade para dizer que os amo. Porém, se seu filho chorar não pode ser muito diferente, abrace, conforte, explique que será um período curto apenas e que você volta para buscá-lo, despeça e vá.

Sei que parece cruel. Eu também não gosto de ver meus filhos chorando, mas essa é a melhor maneira para que esse processo de adaptação ocorra com sucesso. E se você sentir vontade de chorar, chore, mas longe dele… eu já fiz isso!

Apresente a escola para criança com antecedência

Se você tiver oportunidade de apresentar a escola antes para a criança é melhor. Leve até a escola para ela ir se familiarizando com o local. Senão for possível entrar na escola, mostre-a por fora, assim o local não será tão estranho no primeiro dia.

Também é importante você contextualizar um pouco como será o dia da criança na escola, falando que terá a hora da música, de desenhar, do lanchinho, do banho e depois você chega para buscá-lo. Acompanhe o cronograma de atividades diárias.

Dessa maneira, a criança vai criando uma rotina na sua cabecinha. Mesmo que isso ainda não esteja muito claro para ela. Faça o mesmo procedimento para os bebês quando vão para as creches. Contextualize.

Ah! Outra coisa fundamental é dizer quem realmente irá buscá-lo caso não seja você, explique que será o papai, o vovô ou a titia. Enfim, quem for o responsável em buscar a criança na escola.

Não coloque a criança no colo

Essa dica serve para os maiorzinhos, para os que já andam. Entre com a criança andando na escola. Evite de entrar com a criança no colo. Com isso, você evita que a professora tenha que pegar a criança do seu colo. Lembre-se, no início ela é uma estranha e para criança não é nada bom sair do colo da nossa mãe para um colo de uma estranha.

E caso a criança insista ir no colo ao entrar na escola, de uma forma bem natural vai colocando a criança no chão, sem mencionar: “Vamos descer agora? Ou vamos para o chão?” Coloque sem falar nada e na sequência chame atenção para alguma outra coisa, um desenho na parede, uma borboleta voando ou para cor dos pilares…Olhe ao seu redor!

Sempre se despeça

Nunca sai escondido, de fininho. Sempre despeça do seu filho, mesmo que isso seja precedido de um choro. Quando esperamos um momento de distração da criança e saímos escondidos, a sensação de abandono é ainda maior. Coloque-se no lugar no seu filho. Tenho certeza que também não se sentiria confortável com a situação.

Cuidado com as palavras

Isso mesmo vigie o que sai da sua boca, “Acabou a moleza!” “Acabou a brincadeira, chegou a hora de ir à escola”. Mamães queridas, as crianças levam tudo exatamente ao pé da letra. Então para que lugar é esse que ela está indo, óbvio que terá choro, que terá resistência. A criança, de fato, não vai querer ir para esse local horrível que você acabou de descrever e chegando na escola vai chorar ou até você encontrar dificuldade de levá-la para escola. A escola deve ser um local prazeroso, de aprendizado e diversão.

Esqueça o choro

Fundamental também é reconhecer o choro da criança, sabe aquela frase: “Não precisa chorar!” Esqueça, por favor esqueça. Chorar é uma forma que ela tem de dizer que está com medo, ou insegura…Enfim, legitime o chore e troque a frase acima por: “Eu entendo que você está sentindo, sei que é tudo novo, eu também já me senti assim e ainda sinto quando vou a locais estranhos e desconhecidos. A mamãe entende você, vai por mim”. Legitimar o sentimento tem um efeito calmante incrível. Procure falar olhando nos olhos da criança, assim elas se sentem reconhecidas e importantes e claro, abrace!

E lembrem-se, sempre de colocar na sua bolsa muita paciência e compreensão com esse momento do seu pequeno. O choro é a forma que ele sabe expressar seus sentimentos ele ainda não sabe nomear exatamente o que está sentindo. Às vezes, nem nós mesmos sabemos, imagine eles e por isso choram essa é forma que elas sabem até o momento de se expressar.

Peça ajuda

Agora mamãe se você ainda sim tiver muita dificuldade de levar seu filhote na escola, muita insegura, peça ajuda. Use a rede de apoio, peça para o papai te ajudar nesse momento ou uma outra pessoa a quem você possa recorrer. Vale até uma amiga!

E no período que a criança estiver na escola e você não estiver trabalhando, procure ocupar sua mente para não entrar em sofrimento. Retome suas leituras, uma atividade física, faça um curso! Enfim, use esse momento para o autocuidado, para você!

A escola como lugar ideal para o seu filho se sociabilizar

Acredite, a escola é um lugar legal. Ir à escola não é ruim. As crianças se socializam, aprendem novas brincadeiras, desenvolvem a psicomotricidade, aprendem a dividir, esperar e inúmeras outras coisas.

Mesmo quando ficamos em casa em tempo integral com nossos filhos, não conseguimos dedicar 100% da nossa atenção, pois temos que fazer as atividades do lar, ou até mesmo trabalhar, quem trabalha home office.

Fora que também é importante para nós mamães retomarmos os nossos papéis. De mulher, profissional, amiga, dentre tantos outros que deixamos de lado no período da maternidade, que também não tem nada de errado nisso. Mas, chega a hora de voltamos a nossa rotina.

1 Resposta

Deixe um Comentário